Portal Oficial do Governo da República de Angola
Saúde

Angola regista primeiro paciente recuperado da COVID-19

Um dos cinco cidadãos angolanos com coronavírus está recuperado. Os resultados dos novos testes laboratórias foram negativos, segundo o secretário de Estado para a Saúde Pública.


Franco Mufinda que falava esta segunda-feira, 30, na conferência de imprensa de actualização dos dados da COVID-19, disse que nos próximos dias o paciente terá alta hospitalar, enquanto os outros quatro, com um quadro clínico estável, continuam a ser acompanhados pelas equipas médicas.



O secretário de Estado para a Saúde Pública informou igualmente que o resultado das 21 amostras pendentes também foram negativos. Neste momento, acrescentou, as equipas médicas continuam a fazer o rastreio da doença nos centros de quarentena e vão divulgando os resultados de forma faseada.



A nível do país, de acordo com secretário de Estado, 1.273 pessoas estão em quarentena institucional, dos quais 532 na província de Luanda. Já o Centro Integrado de Segurança Pública, recebeu 305 chamadas, em que se destacam 23 alertas de casos suspeitos, 13 casos descartados, oito em nvestigação e dois casos validados que já estão a ser seguidos em unidades sanitárias.



Para as autoridades sanitárias terem uma imagem real do número de pessoas infectadas com a COVID-19, Franco Mufinda disse que nos próximos dias serão realizados estudos em alguns conglomerados populacionais de forma aleatória.



Nas demais províncias, o secretário de Estado deu aconheceu que as autoridades locais continuam com o trabalho de preparação dos hospitais para atendimentos de eventuais casos, seguimento dos casos suspeitos em quarentena, formação dos profissionais e com o trabalho de aquisição de insumos.



Quanto às recomendações, Franco Mufinda desaconselhou o uso de cigarros e apelou ao cumprimento de algumas práticas para saúde física e mental como a leitura, a realização de exercícios físicos, consumo de alimentação equilibrada, o distanciamento social, a lavagem das mãos e a observação da quarentena, como principal medida de prevenção.