Portal Oficial do Governo da República de Angola
soc

Suécia na capacitação de quadros angolanos

O inspector-geral da Administração do Estado, Sebastião Ngunza, recebeu nesta quarta-feira, 12, em Luanda, a embaixadora da Suécia em Angola, Ewa Polana, durante o qual ficou reiterada a disponibilidade das autoridades suecas em apoiar Ango... Ver mais

Durante o encontro, que durou cerca de duas horas e contou igualmente com a presença de empresários suecos que estão em Luanda a participar num fórum entre os dois países, foram analisados diversos aspectos que visam o fortalecimento do combate à corrupção e à diversificação da economia angolana.


 


Em declarações prestadas à imprensa, no final do encontro, a diplomata sueca garantiu que, fruto dos contactos anteriormente mantidos entre os dois países, a Suécia está disponível para conceder formação para a capacitação de quadros angolanos em matéria de combate à corrupção. Ewa Polana sublinhou que o seu país já tem um contingente policial preparado para o efeito.


 


Na próxima sexta-feira, está agendada a apresentação dos resultados de um estudo sobre o combate à corrupção, feito em 2007, na Suécia, pela empresa sueca DP Services, dirigida pelo engenheiro Mats Simonsson. O estudo mostra, de uma forma geral, os males causados pelo fenómeno e aponta as melhores maneiras de o combater.


 


A diplomata mostrou-se muito impressionada com a ambição do Presidedrnte João Lourenço e dos órgãos de Justiça e por tudo o que têm efeito visando o combate à corrupção. Destacou, particularmente, o trabalho que está a ser desenvolvido pela Inspecção Geral da Administração do Estado.


 


Apesar da impressão que teve e com o facto de Angola ter subido 19 lugares no ranking dos países que lutam contra a corrupção, Ewa Polana considera que o país ainda tem muito por fazer.


 


Por seu turno, o inspector-geral da Administração do Estado considerou importante para o país a disponibilidade de formação dos qua- dros angolanos, sublinhado que os países nórdicos, nos quais se enquadra a Suécia, têm avanços multifacetados no combate à corrupção.


 


Sebastião Ngunza assegurou aos empresários suecos que o país possui condições para a realização de investimento estrangeiro e encorajou-os a fazerem denúncias contra quem quer que seja o indivíduo que tentar corrompê-los ou extorquir dinheiro.