Portal Oficial do Governo da República de Angola
Governo

Suécia apoia Executivo no combate à corrupção

A Suécia elegeu como uma das prioridades na cooperação com Angola o apoio ao Governo e às instituições como a Inspecção-Geral da Administração do Estado (IGAE) nas acções que conduzam a um efectivo e consequente combate à corrupção e às más... Ver mais


A intenção foi manifestada esta segunda-feira, 4, pela embaixadora da Suécia em Angola, Ewa Wrika Polano, num encontro, em Luanda, com o inspector-geral da Administração do Estado, Sebastião Gunza, que serviu para analisar a cooperação entre os dois países no domínio do combate à corrupção e do controlo interno.



O encontro, que ocorre quase dois meses depois de Sebastião Gunza ter estado na Suécia, em visita de trabalho, serviu para as partes avaliarem as formas de acelerar as acções para o reforço da cooperação, principalmente na formação de quadros da IGAE.



A diplomata referiu que a visita do inspector-geral do Estado ao seu país, marcada por encontros de trocas de experiências e absorção de conhecimentos com distintas instituições de controlo interno e combate à corrupção, fez com que Angola passasse a ser, para a Suécia, um país com o qual se pode cooperar e transmitir experiências na área de controlo interno e combate à corrupção, por via das suas instituições vocacionadas, como o Escritório Nacional de Auditoria, Conselho Sueco da Garantia de Crédito à Exportação, Autoridade de Crimes Económicos, Instituto Anti-Corrupção, entre outros.



Sebastião Gunza sublinhou que a instituição pretende afinar os mecanismos de inspecção, fiscalização, auditoria e controlo, para uma contínua eficiência e eficácia do combate à corrupção e o reforço da transparência na gestão da coisa pública.



A cooperação com as autoridades suecas, segundo ainda o inspector-geral do Estado, vai permitir, igualmente, a concepção e implementação de planos de prevenção de riscos à corrupção, junto das instituições públicas angolanas.



As duas entidades colocaram a possibilidade se trabalhar para uma possível cooperação com o Programa das Nações Unidas (PNUD), por entenderem que as suas acções, enquadradas na promoção do desenvolvimento, erradicação da pobreza e redução das desigualdades, são implementadas junto de instituições do Estado, sujeitas à fiscalização e inspecção da IGAE.



JA