Portal Oficial do Governo da República de Angola
Governo

Chefe de Estado rende homenagem ao ex-segundo comandante da MGA

O Presidente da República, João Lourenço, rendeu homenagem ao ex-segundo comandante da Marinha de Guerra (MGA), Augusto Sebastião Lopes "Roca Mónita", falecido por doença.

O Presidente da República, João Lourenço, rendeu homenagem ao ex-segundo comandante da Marinha de Guerra (MGA), Augusto Sebastião Lopes "Roca Mónita", falecido por doença.

O Presidente da República, João Lourenço, rendeu no último sábado 10, em Luanda, homenagem ao ex-segundo comandante da Marinha de Guerra (MGA), Augusto Sebastião Lopes "Roca Mónita", falecido por doença, terça-feira 6, em Luanda.

Augusto Sebastião Lopes foi um nacionalista angolano que muito cedo integrou a luta de libertação nacional, que culminou com a independência do país em Novembro de 1975.

Após a independência, o malogrado se celebrizou na Marinha de Guerra Angolana, onde exerceu várias funções com destaque para a de segundo comandante do ramo.

Ao reconhecer estes feitos, o Presidente da República e Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas realçou, no livro de condolências, o contributo, a dedicação e entrega do malogrado à causa da Nação.

No velório realizado no quartel-general do Exército (ex-RI 20), e depois de ter sido entoado o Hino Nacional, o Chefe de Estado depositou uma coroa de flores e inclinou-se diante da urna.

Após esse momento, e ainda no velório, o Comandante-em-Chefe das Forças Armadas Angolanas transmitiu condolências à família enlutada.

Renderam igualmente homenagem ao malogrado almirante, o Procurador-Geral da República, deputados, governantes e altas patentes militares (no activo e na reserva).

O chefe do Estado Maior General das Forças Armadas Angolanas, Geraldo Sachipengo, que esteve no velório, considerou o almirante “Roca Mónita” um combatente da primeira linha.

Como legado, segundo o general de Exército, o malogrado deixa a dedicação ao trabalho e excelentes relações humanas.

Já o comandante do Exército, Gouveia de Sá Miranda, salientou que as Forças Armadas Angolanas perderam um valoroso combatente que nos momentos mais difíceis sob ter os meios juntos das unidades para o cumprimento das missões.

Os restos mortais do Almirante vão a enterrar hoje no cemitério Alto das Cruzes, em Luanda.

Angop