Portal Oficial do Governo da República de Angola
Ambiente

Ministério aposta nas condições higiénicas do mar

Condições higiénicas nos recintos pesqueiros e comerciais constitui uma das grandes apostas do Ministério das Pescas e do Mar.

Condições higiénicas nos recintos pesqueiros e comerciais constitui uma das grandes apostas do Ministério das Pescas e do Mar, disse nesta terça-feira, 31, em Luanda, a ministra Victória de Barros Neto.

Na apresentação do plano de gestão ambiental do Porto Pesqueiro de Luanda, a governante alertou para uma responsabilidade acrescida na preservação da gestão ambiental marítima através de um tratamento adequado e diário daqueles que têm o mar como a sua fonte de sustento.

A ministra advertiu, sendo o peixe um recurso natural de todos os angolanos, os armadores que têm licença de pesca a terem, igualmente, a responsabilidade de cuidar daquilo que lhes dá riqueza.

Disse haver um trabalho da parte do Ministério das Pescas e do Mar sobre o peixe em termos de logística e distribuição e espera o apoio do sector privado e dos departamentos governamentais, onde se inclui também o Ministério do Comércio.

Disse pretender que se efective o plano geral de gestão de resíduos sólidos do Porto Pesqueiro de Luanda, assim como a sua extensão em outros recintos portuário do país, tanto pesqueiro, quanto comercial.

Na ocasião, o presidente do Conselho de Administração da empresa Portuária de Pesca de Angola (Pescangola), Sebastião Macunge, disse que o Porto Pesqueiro, no que toca à água e o ar circunvizinho, tem contaminações causadoras de bactérias na atmosfera e uma prevenção ambiental imediata vai impedir a contaminação do peixe e a ameaça à saúde humana.

Para o sócio e gerente da Ecosel, empresa especializada na recolha de resíduos sólidos, Brás da Silva, recomendou a formação de todo o pessoal da Pescangola, um saneamento básico adequado, consubstanciado em tratar os resíduos sólidos nos recintos portuários, entre outras medidas.

O plano de gestão ambiental do Porto Pesqueiro de Luanda, com uma execução prevista para o ano 2018, é um estudo da Ecosel, empresa especializada na recolha de resíduos sólidos, em parceria com o Pescangola, empresa que gere o Porto Pesqueiro de Luanda.

Angop